League of Legends: Cobertura inicial do Mundial 2019

1

É chegada a época favorita de qualquer fã do cenário competitivo de League of Legends: O Campeonato Mundial, ou para os íntimos: simplesmente o “Worlds”. Desde 2011 os mundiais de LoL ocorrem para escolher o melhor time da modalidade entre os três melhores times das regiões principais: China, Coreia, Taiwan, América do Norte e Europa e os times de regiões menores, antigamente conhecidas como Wildcards: Vietnã, Brasil, América Latina, Sudeste Asiático, Rússia e Turquia. Com excessão do Vietnã, que possui duas vagas para a competição após surpreendente campanha da Gigabyte Marines internacional em 2017, todas as regiões menores já foram derrotadas em uma fase que antecede a fase de grupos do mundial, denominada “Fase de Entrada” ou, em inglês, “Play-ins”.

O Flamengo Esports de brTT foi o representante brasileiro da competição nos Play-ins, mas a equipe amargou um resultado de apenas 1 vitória e 4 derrotas, sendo o último colocado de seu grupo. (Reprodução: @flaesports)

As 16 equipes restantes têm a árdua missão de figurar no TOP 2 em seus respectivos grupos para avançar para a próxima fase do torneio, as quartas de final. Árdua pois este ano, pela primeira vez desde o torneio da segunda temporada, vivemos um momento super disputado da competição, sem favoritos isolados, pois tanto a América do Norte quanto a Europa cresceram muito ao longo de 2019 e a China e a Coreia certamente terão problemas para derrota-los.

A volta de Faker, o maior jogador de League de todos os tempos e sua equipe, a SKT T1, maior campeã de todos os tempos, responsável por vencer os campeonatos de 2013, 2015 e 2016, é certamente um dos maiores highlights do campeonato. Competir contra Faker é um sonho para quase todos os jogadores que chegam nesse, que é o maior palco possível para o jogo.

Lee “Faker” Sang-hyeok provavelmente está vendo vídeos de gatinhos em seu celular antes de destruir seus adversários. (Reprodução @T1LoL)

Os dois primeiros dias da competição foram marcados por grandes jogadas, alguns jogos de qualidade duvidosa e muitos recados de jogadores lendários de cada uma de suas regiões.

O entusiasmo após os resultados do fim de semana está totalmente voltado para as equipes que ainda não perderam e tiveram vitórias convincentes contra oponentes fortissimos: G2 Esports da Europa, SKT T1 da Coreia do Sul e a Invictus Gaming da China, todos times com troféu internacional.

Um retorno de Gigantes

Os jogos da SKT foram contra a Fnatic, vice-campeã europeia e a Royal Never Give Up, vice-campeões da China, que contam em seu elenco com o jogador lendário, Uzi. Uzi é visto pelos principais analistas como o melhor atirador de todos os tempos e no seu embate com Faker, o melhor meio de todos os tempos, tivemos uma partida de mais de 40 minutos, que nos presenteou com grandes reviravoltas, com grandes jogadas dos Selvas Clid e Karsa, uma bela fuga de Faker e toda a capacidade de se sobressair em lutas de Uzi. A T1 acabou levando a melhor, pois jogou na força de sua composição, que possuía diversos teleportes e um Twisted Fate, personagem conhecido por derrubar as estruturas inimigas facilmente, invadindo a base rapidamente e derrubando o Nexus.

O confronto entre Faker e Jian “Uzi” Zi-Hao foi o grande destaque do segundo dia do Mundial (Reprodução: @lolesports)

G2 Esports – novos campeões?

O elenco da G2 está na melhor fase de todos os tempos após vencer o campeonato internacional de meio de temporada, onde apenas o campeão da liga regional tem espaço graças a contratação de um dos adversários mais formidáveis – o jovem Caps, para o elenco como jogador da rota do meio. A G2 conta também com Wunder na rota superior, Jankos na selva, Perkz como atirador e Mikyx na posição de Suporte. Com grande atuação de Jankos, que com uma rápida adaptação conseguiu conter as invasões de Tarzan, o selva da GRIFFIN e magistral desempenho de Perkz, a G2 conseguiu vencer os vice-campeões Coreanos, equipe também muito bem cotada como possível campeã do mundial.

Marcin “Jankos” Jankowski e Luka “Perkz” Perković em foto antes de sua estreia no campeonato. (@G2Perkz)

Os defensores do título: Invictus Gaming

A surpresa talvez esteja no colo da Invictus Gaming, que apesar de ser a atual campeã mundial, teve um 2019 controverso, onde seus principais jogadores não conseguiram mostrar bons jogos e foi derrotada por 3 a 0 pela Team Liquid na competição de metade da temporada. A Invictus vem fortíssima, com grandes performances de TheShy e Rookie, jogadores icônicos que levaram o time ao título em 2018. No segundo dia de competição, a vingança contra a Team Liquid ocorreu com sucesso e a IG se tornou o único outro time além da T1 a abrir 2-0 na tabela.

Song “Rookie” Eui-jin durante o segundo dia de jogos fez uma ótima partida de Orianna. (@invgaming)

Os outros dois times ainda sem derrotas, J Team, Splyce e Cloud9, não animaram tanto pela natureza dos seus jogos. J Team enfrentou uma Fun Plus Phoenix que claramente não aparenta estar aplicando todo seu poder de Campeão Chinês. A Splyce jogou contra uma Gigabyte Marines (atualmente GAM Esports) duvidosa, que mesmo com uma composição de assassinos não foi proativa. Já a Cloud9 passou sufoco ao enfrentar a dupla Garen-Yuumi da Hong Kong Attitude na rota inferior. O poder do combo destes campeões é realmente alto e causa problemas para qualquer adversário.

Os times que estão 1-1 na competição até o momento são a Team Liquid, Royal Never Give Up,

Fnatic e Damwon Gaming, enquanto a Fun Plus Phoenix, a Clutch Gaming , Griffin, GAM Esports, Hong Kong Attitude e AHQ Esports ainda não conseguiram nenhuma vitória.

O mundial continua hoje, em Berlim, às 9 da manhã no horário de Brasília. A transmissão ocorre na Twitch e no Youtube. Caso você se sinta mais a vontade, também há uma transmissão em português brasileiro, que ocorre nos canais da Riot Brasil também pelas duas plataformas (Twitch/Youtube).

One Comment

  1. Eu e meu namorado estamos acompanhando aos fins de semana, fiquei triste com a derrota do Brasil e ainda não decidi pra quem vai minha torcida agora, mas gosto dos times da Royal e Cloud9. Ótimo artigo, mais sorte pro Brasil ano que vem 🤷

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *