Crítica | O Melhor Está por Vir

0

A trama do filme é sobre uma amizade entre dois homens, um deles é Arthur (Fabrice Luchini) e o outro César (Patrick Bruel). Tudo muda e vira de cabeça para baixo quando descobrem uma doença grave.

O início do filme é um pouco agitado, para que o espectador possa entender como é a vida de cada um dos personagens, que se conhecem desde quando eram crianças. Uma amizade que dura para sempre, mesmo que às vezes, haja uma distância entre os dois.

Cesar é um homem mulherengo, gosta de esbanjar dinheiro, vai a festas, (praticamente curte a vida como se não houvesse o amanhã) que acaba sofrendo um acidente, e o seu melhor amigo Arthur corre para socorrê-lo. Mas tudo muda na vida dos dois com a descoberta de uma doença.

E a confusão continua com uma consulta médica, que levou os dois amigos a se unirem como nunca, mas não é só isso, os dois acabam convivendo devido à situação dramática vivida por um deles.

Essa doença muda a vida dos amigos, pois o longa detalha toda leveza que os dois têm ao receber a notícia, e não se desesperar. Com cenas, leves, engraçadas e divertidas, o espectador consegue rir e interagir com algumas situações que os melhores amigos vão passando no decorrer da trama. Ou seja, toda a confusão do diagnóstico da doença vai ocasionalmente certo desconforto, mas ao mesmo tempo sentimos que a amizade dos dois acaba ser fortalecendo mais.

E do nada aparece à pergunta, o que fazer quando se tem alguns meses de vida? Será que dá para realizar todos os nossos sonhos? Daí que surge o objetivo dos dois amigos, aproveitar o máximo esse tempo que resta para fazer as coisas que Arthur jamais imaginaria poder realizar, como viajar de avião (pois ele morre de medo de avião), beber muito, entre outras.

É interessante ver como é a amizade dos dois, pois eles são totalmente diferentes, Arthur é mais calmo, tranquilo, ele é aquela pessoa que é acostumada com a rotina. Já César não. É aquele típico de pessoa que nunca se importou em curtir a vida intensamente. E isso é o que torna o filme mais divertido, engraçado e você sabe que em algum momento um dos dois vai ter que sair da caixinha e fazer o que não gosta.

O filme não é só humor e risadas, pois toda a jornada que os amigos precisam passar, se torna uma situação muito difícil de enfrentar. E novamente o filme ganha na maneira de conduzir nossos sentimentos. É como se estivéssemos juntos com eles passando por tudo isso. Outro ponto positivo é a sua trilha sonora que se encaixa perfeitamente em cada cena.

Os atores também tiveram uma ótima química, ao demonstrar o valor da amizade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *