Universal TV estreia segunda temporada de Unidade Básica

0

Depois do sucesso da primeira temporada, exibida em 2016, o Universal TV estreia novos episódios de Unidade Básica, no dia 3 de maio, às 23h. A série, produzida pela Gullane e criada por Newton Cannito e as irmãs Helena e Ana Petta, traz como protagonistas, além da própria Ana, o ator Caco Ciocler, que interpreta o Dr. Paulo, um médico de família experiente, completamente envolvido nos casos e histórias de seus pacientes, no cotidiano de uma Unidade Básica de Saúde, porta de entrada do SUS no país.

“Estamos muito felizes, mais uma vez, por essa parceria com o Universal TV. Unidade Básica é uma série brasileira super relevante e extremamente atual, porque mostra nossos grandes profissionais da saúde pública, em meio aos seus desafios, seus dramas, suas conquistas diárias e as relações potentes e profundas que estabelecem com as comunidades nas quais atuam”, afirma o produtor Caio Gullane.

A diretora geral, Caroline Fioratti, adianta que o espectador vai poder identificar os seus dramas pessoais nessa nova temporada, que além de falar de saúde, fala de cura, de laços humanos, de afeto, tudo isso tendo como cenário uma unidade básica de saúde. Para ela, essa é uma ficção que procura não só entreter, mas levar também informação. “Estamos vivendo um momento único e doloroso. A pandemia do covid-19 escancarou os problemas enfrentados pelos profissionais de saúde e a importância do SUS na vida dos brasileiros. Nossa estreia coincide com esses tempos de incertezas, mas de profunda gratidão aos médicos, enfermeiros, agentes comunitários e todos que estão na linha de frente na luta pelas vidas”, afirma.

Diagnósticos imediatistas, corporativismo e feminicídio são alguns dos temas abordados na nova leva de episódios. “A ideia da série é divulgar para o Brasil o que se passa dentro das Unidades Básicas de Saúde e, atualmente, elas viraram o foco de atenção. Eu acho que foi uma feliz coincidência dramatúrgica, embora seja uma infeliz coincidência histórica”, afirma Caco Ciocler a respeito do contexto atual da pandemia do novo Coronavírus.

Em sua segunda temporada, o protagonista assina também a direção de dois episódios. “Para mim é uma super alegria. Eu já havia dirigido dois documentários e estava louco para começar na ficção. Achei que seria no cinema, mas fico feliz que tenha sido numa série que eu já amava as pessoas, os personagens e tinha um entendimento de dentro, como ator. Então, foi muito interessante essa passada para um universo que eu já tinha vivido tão intimamente”, afirma o ator.

Caco fala ainda sobre a rotina corrida de gravação e os bastidores. O ator conta que para se dirigir, muitas vezes, ele precisou de um ator substituto, pois não tinha tempo de se ver. Ele armava a cena com o ator, entendia os outros personagens, a melhor maneira de se encaixar e gravava. “Para mim foi um grande aprendizado, que me fez ter uma compreensão do todo, que eu jamais poderia sonhar em ter quando fiz a primeira temporada”.

Inspirada em fatos reais, a ficção acompanha a rotina de trabalho de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros e agentes comunitários que atuam em uma Unidade Básica de Saúde, cujo objetivo é oferecer atendimento à população. “As minhas expectativas já eram imensas para essa estreia. Nós tivemos feedbacks muito interessantes na primeira temporada. Fico feliz, por exemplo, de saber que a série está sendo objeto de estudo para profissionais de saúde e universidades. Os temas da segunda temporada são muito complexos, dialogam com a realidade brasileira e levantam questões e problemáticas bem profundas e corajosas”, completa o ator.

Crédito da imagem: Pedro Saad

O Universal TV irá exibir episódios duplos, todo domingo, às 23h e às 23h30. O elenco conta ainda com Vinícius de Oliveira e a Carlota Joaquina, que também fizeram parte da primeira temporada, e novos nomes como Fabiana Gugli, Lina Mello e Gabriel Calamari.

“Há um grupo de pessoas que busca a medicina com o imaginário das séries médicas clássicas de televisão, com os médicos sempre trabalhando em hospitais de ponta e descobrindo doenças raras e uma adrenalina, como se estivessem em filme de ação. Unidade Básica desconstrói isso, sem desconstruir o heroísmo do médico, que aqui está em outro lugar. Não está na pompa, no glamour da medicina. E a gente está sentindo isso na pele agora, diante do contexto da pandemia. Esses caras são os heróis, estão na linha de frente, contaminados, expondo suas vidas, para salvar a vida de outras pessoas. E a série traz muito esse lado, esse heroísmo real, da pessoa que escolhe essa profissão. Da pessoa que escolhe trabalhar em uma Unidade Básica de Saúde, que é o caso do meu personagem, Dr. Paulo”, conclui Caco.

“Unidade Básica é uma série que investiga casos, através do olhar profundo para o ser humano. O espectador será fisgado nessa investigação e se emocionará com os dilemas dos personagens, pacientes e profissionais da saúde”, completa a diretora.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *