Resenha | Um Amor Para Recordar

0
Esta é a minha história – e prometo contar tudo.
No início você vai sorrir e, depois, chorar – não diga que não avisei. – Landon Carter

 

Livro Um Amor Para Recordar de Nicholas Sparks/ Foto por Taigra Brandão

A obra narra a vida de Landon Carter que muda para sempre.  Aos 17 anos, largado pela namorada e sem companhia para o baile da escola, ele está desesperado para dar a volta por cima. Todas as garotas interessantes já têm alguém para acompanha – las e sua única opção é alguém impensável: Jamie Sullivan, a filha do pastor da igreja que frequenta.

Porém, Landon e seus amigos, acham Jamie muito esquisita. Normalmente, ela está  sempre com as mesmas roupas, não usa maquiagem, vive com o cabelo preso  num coque e carrega a Bíblia surrada para todos os lados. A vida dela gira em torno do pai viúvo, do resgate de animais feridos e do seu trabalho como voluntária num orfanato.

Nunca foi chamada para sair por nenhum garoto – até Landon fazer o convite. A garota aceita com uma condição: que ele não pode se apaixonar por ela. A princípio, parece uma tarefa fácil, mas quanto mais tempos eles passam juntos, mais Landon acaba se apegando a Jamie, e uma transformação pessoal começa a acontecer e com ela, Landon amadurecerá e se tornará alguém melhor, todos ao seu redor se tornarão melhores.

Um Amor Para Recordar é um livro bem enxuto.  É uma leitura tranquila, leve e até que, rápida. Bem (bem mesmo) diferente da sua adaptação que mudaram muitas coisas e uma das mudanças que mais gera impacto quando lemos o livro e assistimos ao filme, é o personagem Landon que no filme é um bad boy inconsequente. O Landon do livro está longe de ser um rebelde sem causa. Ele tem o grupinho dele e um comportamento não muito exemplar, mas não comete nenhum erro altamente questionável como mostra o filme. Sua família é retratada de forma diferente.  No longa ele é filho de pais separados e tem uma vida sem luxos e o seu relacionamento com o pai, que é médico, é inexistente, já que ele acha que foi abandonado. No livro, em contrapartida, os pais de Landon são casados e seu pai é um político de atitudes duvidosas e sua vida é confortável. O relacionamento com o pai é distante, mas não chega a ser tão difícil como no filme.

A personagem Jamie não muda muita coisa. Ela é doce, altruísta, bondosa e sempre responde uma ofensa com um sorriso. Sua fé inabalável é inspiradora e não há como terminar este livro sem refletir sobre nossa própria fé e sem nos perguntarmos qual será o plano de Deus para nós. No longa com Mandi Moore, a personagem tem uma lista de coisas que quer fazer – estar em dois lugares ao mesmo tempo, ajudar uma pessoa que ela não gosta, ter uma estrela com seu nome, presenciar um milagre… -, já no livro não existe nada disso. Mas não deixa de ser fofo e profundo.

O livro é ambientado no final dos anos 50 e é possível perceber muitos hábitos daquela época e até mesmo no desenvolvimento do romance dos protagonistas. Há uma inocência e um respeito muito bem trabalhados entre eles e isso não acontece somente por Jamie ser filha do pastor da cidade, era um comportamento inerente à época que, se perdeu com o tempo. E algo que é muito bonito, é a aproximação deles.

Os personagens Jamie e Landon, são muito fofos juntos e a forma como vemos o amadurecimento do garoto é muito bonita. Esse livro não fala apenas de um romance, mas, sim, de fé, de esperança, de sentimentos profundos, de atitudes boas e coerentes.  Não é preciso ser Cristão para se emocionar com muitas das coisas que Jamie diz e faz ou se emocionar como ela coloca sua vida nas mãos de Deus sem questioná-Lo, tudo o que ela sente é a mais profunda gratidão, alegria e amor.

O livro como citado anteriormente, é narrado por Landon, 40 anos depois. Agora com 57 anos, idoso, ele começa a lembrar de sua adolescência, de como a doe Jamie o mudou e sua gratidão pelos momentos que viveu com ela, se tornando assim, um homem melhor e a maneira como ele lembra do seu amor com a jovem, uma jóia rara faz até o coração mais duro se emocionar com tanto carinho e gratidão. Caso você já tenha lido e não conheça o filme, vale a pena conferir ambas as obras. Um Amor Para Recordar ainda tem muito o que lhe ensinar!

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Um Amor Para Recordar leva 5,0 estrelas bem brilhantes!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *