The Witcher: por onde começar e tudo o que você deve saber

0

Com a Netflix trazendo a série The Witcher para nossas telas, é um bom momento para – caso ainda não saiba tudo – conhecer um pouco mais deste fantástico universo. Mas já adianto que existe uma quantidade intimidadora de “Witcher” por aí para se conhecer – os oito livros originais (mais um spin-off), três games principais e outros spin-offs. E isso não é tudo: existem quadrinhos, audiolivros e os filmes e séries de TV poloneses. Quem é Geralt, e por que ele está em uma banheira? Quem é Ciri? Quais histórias ocorrem e quando?

Caso queira saber mais sobre The Witcher, mas não sabe por onde começar, aqui está nosso mapa. Você saberá quem e o que precisa saber e o que deve ler e jogar primeiro. Lembrando que com certeza terá spoilers durante este guia. Mesmo assim, nada que comprometa sua jornada.

Os personagens mais importantes

Há um extenso elenco de personagens em toda a série The Witcher, mas iremos explicar apenas alguns que você realmente deve conhecer para a série.

Geralt – Um mutante caçador de monstros que é odiado pelo mundo que ele protege, exceto por suas lindas feiticeiras que o adoram uniformemente. Presente em: Tudo, afinal The Witcher é sobre ele.

Henry Cavill é Geralt.

Ciri – Uma princesa cujo destino está ligado ao de Geralt e se torna sua filha adotiva. Presente em: Os livros, na série e o terceiro game.

Yennefer – Uma feiticeira mal-humorada que é o amor da vida de Geralt, apesar de estarem separados tantas vezes quanto juntos. Presente em: Os livros, a série e o terceiro game.

Triss – Outra feiticeira apaixonada por Geralt, Triss ajuda a criar Ciri e é uma espécie de irmã para ela. Presente em: Tudo.

Da esquerda para a direita: Ciri, Yennefer e Triss.

Dandelion – Um poeta, bardo e sempre de bem com vida, é o companheiro de viagem de Geralt e frequentemente o motivo pelo qual o Witcher entra em problemas. Chamado Jaskier no original polonês e na série Netflix. Presente em: Tudo.

Dandelion

Zoltan – Vários anões tagarelas e bebedores servem temporariamente como companheiros de Geralt, incluindo Zoltan Chivay, um veterano de guerra moicano. Presente em: Todos os três jogos, os romances Batismo de Fogo e A Dama do Lago.

Zoltan

Nações e termos-chave

A série de TV Witcher acontecerá em um grande mundo de fantasia, e os livros e jogos se concentram em diferentes países e regiões. Aqui está um mapa básico (embora as guerras que se desenrolem ao longo do tempo mudem as fronteiras políticas). A inserção à direita mostra o território ao sul de propriedade do império de Nilfgaard, enquanto o mapa principal mostra os Reinos do Norte, onde a maioria das histórias acontece. As ilhas de Skellige estão ao largo da costa a oeste.

Imagem: Jared Blando

Nações

Cintra – Um dos reinos do norte, invadido por Nilfgaard durante a primeira guerra do norte.

Rivia – Um pequeno reino do norte, mais conhecido pelo “Rivia” que aparece após o nome de Geralt. Geralt não é realmente de Rivia, mas tomou o nome como uma referência fácil para os céticos em relação aos bruxos. Rivia formou uma união com a vizinha Lyria para se tornar o reino de Lyria e Rivia.

Nilfgaard – O sul é controlado pelo imenso Nilfgaard Empire, e governado por Emhyr var Emreis, uma figura importante em algumas das histórias de Witcher. São conhecidos como os bandidos, embora nunca seja tão simples assim.

Skellige – Basicamente a Irlanda do mundo Witcher, um reino insular na costa dos Reinos do Norte. Assustadoramente independente, mas aliado com Cintra.

Termos chave

Witcher – Um matador de monstros profissional. Os bruxos são submetidos a treinamento intensivo (e cruel) desde a infância e expostos a mutagênicos que mudam seus corpos, tornando-os mais fortes, vivendo uma vida longa e com olhos de gato. Eles também são estéreis. Existem poucos bruxos no mundo, e eles são frequentemente vistos como loucos.

A Lei da Surpresa – Um benefício concedido por uma vida salva. Muitas vezes, esse benefício é o primeiro filho de alguém (pense no conto de fadas Rumpelstiltskin, e você está no caminho certo).

A Conjunção das Esferas – Um cataclismo cósmico de 1.500 anos no passado que causou uma fusão de mundos, e é supostamente a razão pela qual algumas criaturas como fantasmas existem no mundo de The Witcher. Segundo os elfos, também é assim que os humanos chegaram ao mundo e quando aprenderam a usar a magia.

Livros de The Witcher

Porque ler: Entender a política, a história de amor de Geralt e Yennefer, assistindo Ciri crescer.

Os livros no Brasil já estão com novas capas, mas as antigas são muito mais bonitas.

Para começar, os livros de Andrzej Sapkowski sobre um “Wiedźmin”, como os bruxos são chamados no original polonês, são a fonte do ‘OG’ para tudo o que vem depois. Sapkowski criou Geralt e seu mundo para uma série de histórias curtas, coletadas em dois livros chamados O Último Desejo (The Last Wish) e A Espada do Destinho (The Sword of Destiny), e depois expandiram-se a partir de uma saga de cinco romances, seguida de um prequel chamada Tempo de Tempestade (Season of Storms).

A antiga e a nova versão da capa.

Se você está pensando que o prequel pode ser um bom lugar para começar, pense novamente. Tempo de Tempestade se passa no meio do período da história de Geralt, e não no começo absoluto, e termina com um epílogo bem depois deles. É um lugar confuso para começar. Você definitivamente deve guardá-lo para o final.

Caso inicie com os contos ou a saga, é uma questão de gosto. Os contos apresentam personagens como Dandelion e Yennefer, e eles ocorrem primeiro, mas essas aventuras episódicas – muitas das quais são essencialmente paródias sombrias de contos de fadas – podem ser um gosto adquirido. Se você optar por começar aqui, escolha O Último Desejo.

Avance para a saga e perderá alguns detalhes, mas também poderá entrar em uma versão mais desenvolvida do mundo e de seus personagens. Os romances geralmente apresentam longas discussões contadas do ponto de vista de outros personagens, principalmente a filha adotiva de Geralt, Ciri, e se aprofundam nas políticas de guerra do cenário. Às vezes, um pouco profundo demais, se você não gosta de vários capítulos de reis e feiticeiros brigando. Já se você não se importar em brincar de acompanhar e quer ver o mundo do bruxo da melhor forma, comece aqui pegando O Sangue dos Elfos (Blood of Elves).

Agora se você for um ouvinte de audiolivros, todos os oito livros de Witcher estão disponíveis nas versões narradas (em Inglês), por Peter Kenny, que faz um excelente trabalho, mesmo que ele chame Dandelion de “Dandilly-on” pelo primeiro e dê a Ciri um sotaque escocês que pode levar algum tempo para se acostumar. Seu estilo de dar voz a Geralt soa um pouco como Sean Bean, que é honestamente uma escolha sólida.

The Witcher games

Melhor para: A experiência de viver em seu mundo, levando Geralt a ser um herói um pouco menos cínico à medida que amadurece.

Ordem de jogo: The Witcher 3, suas expansões e The Witcher 2 se você realmente precisar de mais.

Destaques: A linha de missão do Bloody Baron, levando um fantasma para um casamento na expansão Hearts of Stone, acordando com uma tatuagem em The Witcher 2.

Mods essenciais: Os melhores mods do Witcher 1 | Os melhores mods de Witcher 2 | Os melhores mods de Witcher 3.

Os games da CD Projekt Red são responsáveis ​​por popularizar a série fora da Polônia, e mesmo que a série da Netflix não seja baseada neles – exatamente!, vale a pena dar uma olhada. No entanto, melhorias maciças foram feitas a cada novo jogo e não é o tipo de série em que você precisa começar com o primeiro. O jogo original de The Witcher era uma bagunça, e embora o corte de um diretor tenha melhorado a tradução desajeitada e existam mods para ajustar seu combate miserável, ainda é muito ignorável.

The Witcher 2: Assassin of Kings é uma melhoria definitiva, e a maneira como sua trama se ramifica no meio do caminho era impressionante na época, mas ainda não é uma recomendação instantânea. Missões de destaque – como aquela em que Geralt acorda com uma ressaca e uma tatuagem e precisa resolver os eventos da noite anterior – estão bem distantes, e o combate esta melhor. Comodamente, ele tem muitos mods que vale a pena tentar.

The Witcher 3, com certeza é uma unanimidade entre todos, ou seja, é o lugar para você começar a jogar. Não se preocupe com o que está perdendo começando no jogo três – embora exista uma cena no início em que um personagem pergunte sobre os eventos do jogo anterior. O enredo é inspirado mais pelos romances. Após dois jogos e ignorar e deixar de lado personagens centrais de livros como Ciri e Yennefer, The Witcher 3 nos leva ao palco principal, o que significa que uma base nos livros ou no programa de TV é mais útil. Aqui dá para entender porque o criador da saga abomina os games.

Quando Geralt esbarra em um NPC dos livros que ele não conheceu nos jogos anteriores, ele ainda responde como alguém que os conhece, então passar 70 horas se arrastando pelos RPGs anteriores não o ajudará quando Dijkstra aparecer e Geralt reagir como se conhecessem. Uma pena terem feito isso.

Os três RPGs não são o fim. Também existem dois spin-offs baseados em Gwent, o minigame que Geralt joga em The Witcher 3. Ainda existe uma versão online gratuita chamada Gwent (a do PC será em breve retirada do ar, ficando apenas a do Playstation), e uma narrativa para um jogador. O jogo tem o título de Thronebreaker, que permite jogar como a rainha Meve, governante de Rivia e Lyria, durante as guerras que precedem os games de The Witcher. Ou você pode tentar o Condottiere, o jogo de mesa para dois a seis jogadores.

Pule o jogo de aventura Witcher. É uma adaptação digital de um jogo de tabuleiro Witcher e não foi bem recebido.

O filme polonês e os quadrinhos

Para que devo ver isso? se você gostou do resto e ainda precisa de mais.

Linha de leitura: comece com os quadrinhos da Dark Horse, depois vá para os quadrinhos da CD Projekt Red e depois não assista ao filme (sem criar um jogo de bebida).

Destaques: O quadrinho de The Curse of Crows se passa após The Witcher 3.

A série da Netflix não é a primeira tentativa de trazer Geralt para a tela. Em 2001, uma produtora polonesa lançou um filme baseado nos livros, e é, digamos, uma bagunça. Mesmo assim, há quem goste. E outros que preferem esquecer. Caso esteja interessado, é só procurar no Youtube que o filme em formato de minissérie está completo.

Para ser justo, a principal razão pela qual o filme é incompreensível é que ele foi editado em vários episódios de um programa de TV (por isso em formato minissérie) que, apesar de um orçamento limitado, na verdade contou uma história até sensata, isto se você assistiu a ele todo em vez de duas horas de exibição. As cenas são aleatórias, cortadas e costuradas desajeitadamente. Infelizmente, apenas a versão do filme está disponível em uma tradução legítima para o inglês, enquanto as outras versões do show foram legendadas (também em português) por fãs.

Geralt também teve uma boa série de aventuras nos quadrinhos. Algumas foram publicados pela CD Projekt Red e ocorrem entre os games, enquanto outros foram publicados pela Dark Horse e alguns continuam as aventuras de Geralt, em The Witcher 3.

Este não é um guia completo. O universo de The Witcher é gigante com muito mais personagens, histórias e conceitos que cabem neste artigo. Mesmo assim, dá para começar a sua jornada!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *