Resenha | A Elite

0
Às vezes, sinto que somos um nó complicado demais de desfazer.
Capa do livro, A Elite (2013)

A Elite é a sequência de A seleção que narra os acontecimentos durante a competição que ficou mais acirrada. Agora restam apenas seis garotas para ganhar o coração do Príncipe Maxon. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente perdida. O fato é que ela passou por muitas coisas até chegar aqui e se vê confusa com a presença de Aspen que já não sendo seu namorado a deixa em dúvida se ela está fazendo o certo em permanecer na competição. Ela sente que é nos braços de Aspen que é protegida e amada. Mas Maxon é tão diferente… Acho que até quem não está nos livros seria capaz de se apaixonar por esse belo príncipe. A questão é que todas as participantes sabem o que querem. E America está prestes a perder a chance de escolher.

Por uma fração de segundos, me dei conta de que a ideia de Maxom se apaixonar por outra me deixava com um ciúme insuportável.  (América) 

É o vale tudo dos contos de fadas. America Singer, do contrário as outras garotas, não queria estar ali e nem sequer casar com o príncipe. Maxon consegue transmitir segurança, e com ele, ela sente mais leve como se estivesse em outro mundo. Ele é calmo e mais racional do que America. E por mais que ele diga a ela, que é nela que vê uma esposa e um amor, ela não confia nele. Ele que demonstrou muitas vezes que faria de tudo por ela.

No decorrer da trama, Maxon e America que antes tinham uma convivência mais tranquila, passam a brigar e durante esses desentendimentos, eles vão gradualmente se afastando. E com isso, ele se deixa ser agraciado pelas outras participantes e uma delas em especial lhe desperta a vontade de querer-la como esposa, é o caso de Kriss que o ama verdadeiramente. Temos também, a rival de America, a maldosa e astuta Celeste, que investe em seus atributos físicos para fisgar a coroa, no príncipe ela vê apenas dinheiro.

Ele faz tanto esforço para conquistar você, mas sempre que ele chega perto, você o afasta. Por que? (Marlee) 

Outra questão que mexe com America é o fato de Aspen estar no Palácio. É posto um triangulo amoroso. America se vê dividida entre Aspen e Maxon. De um lado, temos o seu primeiro amor que terminou com ela momentos antes dela saber que era uma das Selecionadas. De outro, temos o Príncipe que nunca amou na vida e que faz de tudo para que ela tenha do bom e do melhor. Difícil decisão. A quem será que ela escolherá? Resta-nos a dúvida.

E no meio dessa bagunça emocional toda, temos os ataques que o palácio vem sofrendo. Parte da população não aceita o modo como a sociedade é organizada e por isso alguns se rebelam e tentam colocar a coroa sob constantes ameaças. E isso desperta cada vez mais a curiosidade de America em saber quais são as motivações dos rebeldes e devido a isso busca estudar a origem de seu país, Illéa. Suas decisões mal pensadas a coloca em situações em que não podem ser desfeitas e passivas de consequências duríssimas.

Era impossível. eu tinha que escolher. Aspen ou Maxon? Mas como decidir entre duas boas opções? Como decidir se qualquer escolha deixaria parte de mim destruída? Me consolei com o pensamento de que ainda tinha tempo. Eu ainda tinha tempo. – America

Seu temperamento forte acaba gerando conflitos entre ela e o reino e isso colocam Maxon em desvantagem, uma vez que ela é a preferida do príncipe. Antes que ela faça sua escolha, entre o príncipe e uma vida confortável e Aspen e uma vida simples, ela é a escolha para mudar os moldes da atual Illéa. As razões políticas se desenvolvem com mais profundidade em A Elite. E damos conta de que a seleção é um meio de divertir a população, esbanjando luxo e riqueza e para acalmar os ânimos. Mas America acaba tomando conhecimento de muitas coisas e nós leitores acabamos nos confundindo com o real desejo de America… O que ela quer?

Mas por que devo ler?

No decorrer da trama acontece muita coisa e America decide realmente o que ela quer. Sabemos que ela é esperta, mas precisará se impor e mostrar que está disposta a tudo. Sabemos que não será fácil, mas ela precisa tentar. Afinal, ela sabe que Maxon a quer. Mas ele não vai esperar a vida toda. Com uma escrita leve, a trama continua trazendo os dilemas para a vida da personagem principal. Senti que essa continuação carrega o ritmo do primeiro livro, mas com um toque mais sagaz. Dá a Maxon mais personalidade que antes não tínhamos conhecimento. Parecia apenas uma marionete vítima do sistema, mas não. Por trás da aparência, sabemos quem pode ser o Maxon. Na verdade, nesse livro tomamos mais conhecimento de quem são na verdade a Família Real. De quem são as participantes, de quem é Aspen e o principal… quem é America Singer.

Se você gosta de romance, esse livro é ótimo para você. Lembrando que esse livro é a continuação de A Seleção. Escrito por Kiera Cass (escritora infanto-juvenil), A Elite assim como A Seleção, faz parte de uma trilogia. O segundo livro foi lançado em 2013 no Brasil e nos Estados Unidos. Aqui pela editora Seguinte e lá pela HarperTeen. Inclusive, depois do fim da trilogia a autora lançou A Herdeira, que conta a história da filha da personagem principal em 2 livros.

A Elite continua cheia de dilemas, os quais farão America decidir se permanece ou não na competição pela coroa e pelo coração de Maxon e por isso leva 4 vidas de 5,0 por não perder o ritmo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *